Como ter orgasmos no coração

Para uma melhor compreensão, primeiro devemos entender o que é Nadi. As Nadis são canais energéticos por onde flui a energia do corpo. Esses canais são responsáveis por produzir os centros de força conhecidos como Chakras. Os Chakras são centros energéticos distribuídos pelo corpo, são originários das escrituras sagradas do hinduísmo e outras medicinas orientais, a palavra Chakra significa “roda” em sânscrito.

Segundo devemos entender o que é orgasmo, e desvinculá-lo dos genitais. O orgasmo é algo bem maior que transcende o sexo, podemos ter um orgasmo das mais variadas formas, por exemplo treinando na academia, saboreando um prato, em um abraço, realizando pranaymas (técnicas respiratórias), dançando em uma profunda entrega e consciência corporal, entre outras possibilidades que nada tem a ver com sexo ou genitais.

Naturalmente que para chegar nesse nível, precisamos nos desenvolver.
Quando passamos por um processo de desenvolvimento através de meditações, respirações e massagens tântricas. Chegamos em outro patamar de conexão como a nossa energia e com o nosso corpo. Além de ampliarmos também nossa relação com meio que vivemos e nos relacionamos.

Um dos ensinamentos é aprender a direcionar a energia, é ai que entra a experiência do orgasmo com o coração, o orgasmo movimenta a energia dos chakras, no sexo comum raramente ele consegue chegar no chakra cardíaco por varias questões da dificuldade de nos relacionarmos e aprofundarmos no amor e no sexo atualmente.

Nas sessões e cursos conseguimos sentir o orgasmo chegar no coração várias vezes, por estarmos conscientes durante o processo, e pelo desenvolvimento e a terapia tântrica estar desvinculada de jogos e de papéis sociais.

Sentimos sim a energia do orgasmo nos primeiros chakras entretanto, aprendemos a direcionar para os chakras superiores em direção ao Anahata (chakra cardíaco) e Sahasrara (chakra coronário).

Algumas pessoas choram, outras riem, sentem emoções profundas, curas e reajuste emocionais. Esses efeitos se estendem por dias e muda todo um padrão de relacionar-se amorosamente e sexualmente.

Quando a energia orgástica chega no coração, atingimos outro patamar de prazer, orgasmo e amor.

Zaki



Zaki Deva

É terapeuta instrutor e facilitador de Tantra:

– Curso Tantra para casais
– Curso de Massagem Tântrica
– Massagem Tântrica

Anorgasmia Falta de Orgasmo

Anorgasmia é uma disfunção sexual que não tem idade para ocorrer e atinge mais de 50% das mulheres.

Mais da metade das mulheres nunca tiveram um orgasmo, por falta de conhecimento algumas passam a vida toda sem ter essa experiência tão maravilhosa.
Como não se tem consciência, algumas acreditam terem orgasmos, por já terem sentido algum prazer, pensam ser assim apenas mas, sempre que passam por uma sessão de massagem tântrica descobrem que realmente nunca tiveram.

Outras no entanto, tem consciência e buscam ajuda.

Com relação ao o orgasmo não há como ter dúvidas, ele é algo profundo e intenso que não se resume ao prazer, ele transcende uma sensação de prazer, transcende a região genital, toma conta do corpo todo sendo uma experiência de extremo prazer.

Geralmente a experiência do orgasmo funciona assim:

1. Há uma contração involuntária dos músculos do assoalho pélvico, das pernas e até dos braços. Depois disso há um reflexo corporal, como se você levasse pequenos choques em algumas partes do corpo.

2. A respiração fica mais acelerada e ofegante e a mulher sente ondas de calor da ponta dos pés à cabeça.

3. Há uma inclinação da cabeça para trás. O tronco também se curva.

4. Útero, yoni e região do ânus têm contrações simultâneas e muito rápidas.

5. Os bicos dos seios ficam totalmente enrijecidos, como se você estivesse sentindo arrepios de frio.

6. Os batimentos cardíacos aumentam.

7. A lubrificação é potencializada facilitando ainda mais a penetração.

8. Os sons de gemidos se tornam mais altos.

9. Lembre-se que não há regra: algumas mulheres sentem como se um choque elétrico percorresse todo o seu corpo, outras têm pequenos espasmos de prazer e há aquelas ainda que dizem vivenciar uma sensação crescente deliciosa que conduz a uma espécie de transe.

A terapia tântrica ajuda nesse processo de autoconhecimento e desenvolvimento sensorial.
Temos diversos depoimentos de pessoas que recuperaram ou desenvolveram sua capacidade orgástica e multiorgástica.

Antes do processo de desenvolvimento preenchemos uma ficha de anamnese, pois os atendimentos são personalizados e de acordo com a busca e necessidades de cada pessoa.
Em todos os atendimentos, temos também uma conversa prévia, aprofundamos o conhecimento sobre as necessidades e histórico da pessoa e passamos os detalhes do processo de desenvolvimento tântrico.

Nos atendimentos em conjunto com a massagem tântrica também podemos utilizar a meditação ativa, meditação vibracional, meditação guiada e técnicas de respiração atuando assim, de forma positiva nas questões de conteúdo emocional, como traumas e bloqueios.

Zaki


Zaki Deva

Realiza imersões e atendimentos de Tantra
– Massagem Tântrica
– Curso Massagem Tântrica
– Contato

Casamento, Relacionamento e Sexualidade

Temos hoje uma grande parcela de pessoas que encontram dificuldades para sustentar um relacionamento, seja por questões próprias ou a dificuldade de encontrar alguém alinhado com os seus propósitos de vida. Conviver com alguém não é tarefa fácil, ainda mais em tempos modernos onde relações superficiais tornaram-se mais comuns, seja por medo de se aprofundar ou por relações baseadas em interesses apenas pessoais.
A verdade é que muitos relacionamentos também são baseados em jogos, e a única forma de manter uma relação por um logo período ou por toda a vida, é sendo verdadeiro, com clareza nos objetivos.
Somos parceiros de jornada e evolução, nos ajudamos a evoluir e enxergar nossas próprias facetas ocultas através dos relacionamentos, sendo essa uma forma de autoconhecimento.
Os relacionamentos saudáveis são pautados por o respeito e verdades, sendo benéfico até aonde possamos evoluir, se chegarmos à um ponto, onde não evoluímos mais e, venham a faltar o respeito e a verdade, não faz mais sentido seguir em frente com a relação, sendo melhor deixar ir o que já está acabado.
Um dos jogos mais comuns está a falsa relação monogâmica, a pessoa está em um namoro, noivado ou casamento, onde os parceiros possuem relações extras escondidas, a famosa traição, enquanto algumas pessoas morrem ou matam literalmente, por ciúmes, outras, até “permitem” desde que ela não fique sabendo… Se analisarmos, na verdade, essas pessoas não estão prontas ou não querem uma relação monogâmica e sim uma relação poligâmica, talvez o ser humano seja naturalmente poligâmico, a questão aqui está nas verdades e jogos, não há problema se todos os envolvidos estiverem de acordo, o que não é saudável é se enganar ou enganar os outros.
O casamento é belo, desde que ele seja verdadeiro, duas pessoas que se unem, e vivem, seja na saúde e na doença e até que a morte os separem, entretanto, tem muitos casamentos baseados em contratos de interesses apenas, onde a base deveria ser o amor, amizade e a parceria. O sexo, também é fator importante,  sem ele, e relação torna-se puramente amizade.

Mas qual o caminho para termos uma relação verdadeira e duradoura?

Primeiramente devemos nos conhecer, passar por um processo de autoconhecimento. Ambos parceiros devem cada um realizar esse processo, pois se um vai e o outro fica, naturalmente a relação vai se distanciando.
Nesse processo de autoconhecimento, devemos desenvolver:

 

  • O amor-próprio, saber das coisas que gostamos, como gostamos, a aceitação e a solitude, que é o bem-estar em ficar sozinho sem a sensação de solidão.
  • Conhecer e apoiar o parceiro(a), O amor-próprio não é o mesmo de egocentrismo, temos que ter amor-próprio para poder amar verdadeiramente alguém que escolhemos para seguir conosco nessa jornada da vida, o amor não é posse, ciumes e domínio, e o mesmo que queremos para a gente devemos dar.
  • Compreender a própria sexualidade, conhecer o próprio corpo e zonas erógenas, conhecer e compreender a sexualidade do parceiro(a).
  • Ter uma individualidade segura, sem carência ou dependência afetiva.
  • Liberdade para escolher as coisas que estejam alinhadas com sua personalidade como a carreira profissional por exemplo.

 

Geralmente entramos em relacionamentos padronizados, sempre com o mesmo “problema” onde nos colocamos como vítimas, e não adianta trocar de parceiro ou parceira, até que através de um processo de autoconhecimento, identificamos esse padrões e jogos internos, podendo agora sim mudar e escolher outra pessoa, outro padrão de relacionamento. A verdade é que existem muitas pessoas boas por ai.

Para quem está solteiro o grupo O Caminho do Amor é indicado no processo de autoconhecimento, para quem está em um relacionamento o Ser Amor Para Casais.

 

Zaki

Zaki Deva

É Terapeuta e facilitador de cursos de Tantra:

– Workshop Imersão Ser Amor Para Casais
– Curso Imersão em Massagem Tântrica
– Retiro Caminhos do Amor