Vizinho do Lado

Casas tão juntinhas
Mundos separados
Não conheço meu vizinho da frente
Muito menos o que mora ao lado

Se precisar não sei o nome
Nem como devo chamá-lo
Perguntou quem era eu
Aquele dia no mercado

Na era da internet
E dos planos ilimitados
Parece a maior era
Dos humanos desconectados

Ainda podemos fazer diferente
Até melhor que no passado
Mas essa é a realidade
De quem mora em São Paulo

predios.jpeg

5ª Dimensão

e8cumua22i34jmm2x6vot4zjy.jpg

Segundo estudos holísticos a dualidade é uma ilusão e tudo que existe no universo está conectado, essa ilusão só é possível na 3ª e 4ª dimensões onde se encontra a mente humana, a própria física já diz que tudo está conectado no universo por algo invisível. À partir da 5ª dimensão essa ilusão cai e voltamos a compreender essa unidade e conexão com tudo o que existe.

Sobre dimensões superiores cientificamente falando não está concluída as pesquisas, mas os físicos e cientistas afirmam através de teorias, como a teoria das cordas, haver diversas dimensões e que possivelmente estamos vivendo em mundos paralelos.

Se você for observador não é difícil de crer, as vezes observamos falhas na Matrix ou a realidade 3D, uma muito comum é a maleabilidade e elasticidade do tempo. Quem já teve uma experiência de quase morte onde um acidente seria eminente, experimentamos o tempo em extrema lentidão como se tudo ficasse em câmera lenta. Um outro exemplo é algum objeto que muda de tamanho momentaneamente e depois retorna ao seu tamanho original. Ou coisas que não estavam ali, mas de repente estão, etc… Claro o observador é determinante para todos os casos, assim como os paradoxos, se temos uma caixa com um gato dentro, o gato está ao mesmo tempo vivo e morto na caixa, o que vai determinar em qual polo ele se apresentará, será você o observador.

Estudiosos da evolução humana afirmam que estamos em transição da 3ª para 5 ª dimensão, o que seria principalmente uma conexão única de Amor Incondicional para a raça humana. Estando essa ascensão relacionada principalmente ao ativamento do quarto chakra Anahata, o chakra cardíaco que está vinculado a capacidade de dar e receber amor. Identificar no outro a si mesmo, de identificar no Todo a si mesmo e essa ligação com tudo o que existe na natureza e no cosmo.

A ciência e as Dimensões escondidas

“Qual é a 5ª dimensão? Eu sei que a primeira é a altura, a segunda é a largura, a terceira é a profundidade e a quarta, o tempo. Mas ninguém parece saber o que é a quinta!”.

Essa foi a pergunta que Lena Komaier-Peeters, uma menina de 12 anos, enviou para os investigadores da BBC, o geneticista Adam Rutherford e a matemática Hannah Fry, da série Os Casos Curiosos de Rutherford e Fry. Eles foram a Genebra, na Suíça, para responder essa questão.

Segundo o físico Carroll, elas existem e estão em todas as partes.

“Você precisa entrar na mentalidade dos físicos para entender a que eles se referem quando falam a palavra ‘dimensão’. Nós tendemos a acreditar que uma outra dimensão é um lugar aonde você vai e é possuído por criaturas estranhas”, fala.

“E uma dimensão é simplesmente uma direção no espaço. Neste momento, nós conhecemos três, que poderíamos chamar de ‘para cima-para baixo’, ‘para a esquerda e para a direita’ e ”para a frente e para trás’.

Segundo ele, não faz sentido algum dizer “Onde está a dimensão para cima-para baixo?”, porque ela “está em todo o lugar”, assim como as outras.

“O que sabemos com certeza é que elas estão escondidas de alguma forma, então podem ser muito, muito, muito pequenas, tanto que nunca as veremos – essa é a maneira mais fácil de se esconderem”, afirma.

Ou há outras duas possibilidades. “Uma é que são meio pequenas, com um milímetro ou um décimo de milímetro. E a outra é que as dimensões são infinitamente grandes, mas não podemos alcançá-las porque estamos presos em um subespaço da dimensão inferior do Universo.”

Tudo é energia

Quando você manifesta algo “paranormal” você está fluindo através da 5ª dimensão, por exemplo, saber de algo sem que te dissessem, essa manifestação é instantânea e você simplesmente sabe de tal informação, não é intencional e sim natural, ler um pensamento (telepatia) também acontece naturalmente e não intencionalmente. Lembro-me quando aos 17 anos de idade tive uma experiência onde no trabalho, de repente, abriu-se uma tela meio que “ao lado” da minha cabeça e eu fiquei vendo uma cena de fatos e acontecimentos comigo e determinadas pessoas, mais tarde a noite na escola, eu estava no terceiro ano do ensino médio, os fatos realmente aconteceram com 99% de fidelidade do que eu tinha visto na tela mental mais cedo a tarde no trabalho, ou seja, naquele momento percebi que tinha visto o futuro.
Essa transição planetária de dimensão não se sabe ao certo em quanto tempo se concretizará totalmente e nem com exatidão com que intensidade essa manifestações serão mais naturais, mas com certeza será um mundo totalmente diferente.

dimensão-desafios-1030x550.jpg

 

Zaki

Zaki Deva

Realiza Cursos e Imersões de desenvolvimento humano, sexualidade e relacionamentos:

– Workshop Imersão Ser Amor Para Casais
– Curso Imersão em Massagem Tântrica
– Retiro de Meditação e Dançaterapia Tântrica

O poder do sorriso

Sorriso 01

 

O sorriso é o “símbolo que foi classificado com o maior conteúdo emocional positivo”, conclui o cientista Andrew Newberg.

 

A ciência do sorriso: O que acontece com o nosso cérebro quando sorrimos.

Digamos que você tenha uma situação positiva, em que veja um amigo que conhece há anos. Isso significa que os sinais neuronais viajarão do córtex do cérebro para o tronco cerebral (a parte mais antiga do nosso cérebro). A partir daí, o músculo cranial leva o sinal para os músculos do sorriso no seu rosto.

Parece simples o suficiente, né?

No entanto, isso é apenas onde começa. Uma vez que os músculos do sorriso do nosso rosto se contraem, há um ciclo de feedback positivo que agora volta ao cérebro e reforça nosso sentimento de alegria.

“Sorrir estimula os mecanismos de recompensa do nosso cérebro de uma maneira que até o chocolate, um indutor de prazer já conhecido, não pode igualar”.

Sorrir, então, parece nos dar a mesma felicidade que o exercício induz e as maneiras de como nosso cérebro responde. Resumindo: nosso cérebro se sente bem e nos diz para sorrir, sorrimos e dizemos ao nosso cérebro que é bom e assim por diante.

É por isso que, em uma pesquisa recente, os cientistas concluíram que “sorrir pode ser tão estimulante quanto receber uma boa quantia em dinheiro”. Aqui está uma breve descrição dos diferentes músculos que os músculos cranianos ativam em nossa face:

 

smile

 

Sorrisos verdadeiros e falsos – podemos perceber a diferença?

Sempre que sorrirmos, há dois músculos em potencial que ativamos. O primeiro é o zigomático maior ele controla os cantos da boca. Sempre que esse músculo é ativado, não é realmente um sorriso genuíno. Os cientistas chamam isso de sorriso “social”. O segundo músculo, conhecido por mostrar sinceridade, é o oblíquo ocular e circunda a cavidade ocular.

O verdadeiro sorriso também chamado de o sorriso de duchenne, em homenagem ao famoso cientista que primeiro separou o sorriso de “cantos da boca” – apenas do “olho”. Aqui está uma comparação:

 

pic1

 

Nosso cérebro pode, de fato, distinguir facilmente entre o que é real e o que é falso. Na verdade, o pesquisador Dr. Niedenthal argumenta que há três maneiras de fazer isso:

  • Nosso cérebro compara a geometria do rosto de uma pessoa a um sorriso padrão.
  • Pensamos na situação e julgamos se um sorriso é sincero.
  • E o mais importante: nós imitamos automaticamente o sorriso, para sentirmos se é falso ou verdadeiro. Se for verdadeiro, nosso cérebro ativará as mesmas áreas do sorriso e poderemos identificá-lo como sincero.

 

Niedenthal, em seguida, experimentou com o quão importante é ser capaz de imitar sorrisos e se poderíamos ainda separar os sorrisos genuínos dos falsos:

Niedenthal e seus colegas pediram aos alunos que colocassem um lápis entre os lábios. Essa ação simples envolvia os músculos que poderiam produzir um sorriso. Incapazes de imitar os rostos que viram, os alunos tiveram muito mais dificuldade em dizer que sorrisos eram reais e quais eram falsos.

Então, o fato de não podermos experimentar por nós mesmos nos deixa quase incapazes de identificar qual sorriso é falso ou verdadeiro.


O que o sorriso faz à nossa saúde, sucesso e o sentimento de felicidade

Sorrir pode mudar nosso cérebro, através do poderoso feedback que discutimos acima. E o seu cérebro mantém o controle dos seus sorrisos, como uma pontuação do sorriso. Sabe com que frequência você sorriu e em que estado emocional em geral você está.

Sorrir reduz o estresse que seu corpo e mente sentem, quase semelhante a ter um bom sono, de acordo com estudos recentes. E sorrir ajuda a gerar mais emoções positivas dentro de você. É por isso que muitas vezes nos sentimos mais felizes com as crianças – elas sorriem mais. Em média, eles fazem isso 400 vezes por dia. Enquanto pessoas felizes ainda sorriem 40-50 vezes por dia, a média de nós só o faz 20 vezes ao dia.

Por que isso importa? Sorrir leva a diminuir os hormônios induzidos pelo estresse que afetam negativamente sua saúde física e mental, dizem os últimos estudos:

No famoso estudo do anuário, eles acompanharam a vida das mulheres que tiveram os melhores sorrisos nas fotos do anuário em comparação com as outras. As mulheres que sorriam mais viveram vidas mais felizes, casamentos mais felizes e tiveram menos contratempos. Aqui está uma amostra das mulheres do anuário observado. Eu deixo você adivinhar quem foi bem mais sucedido e quem não foi:

 

pic2

 

O estudo do cartão de beisebol também encontrou uma correlação clara entre o tamanho de um sorriso que alguém fez em uma foto de um cartão de beisebol e por quanto tempo viveria. As pessoas que sorriam mais viveram 7 anos a mais do que aquelas que não sorriram.
Naturalmente, o estudo acima apenas mostra uma correlação e não uma causa.

E o mais importante, sorrir pode ser aprendido. Ou, para ser mais preciso, re-aprendido. A maioria de nós esquece como sorrir genuinamente ao longo do tempo, à medida que adotamos sorrisos sociais cada vez mais.

Nos Retiros de Meditações Tântricas abordamos nas vivências meditações que envolvem o riso e o sorriso, assim como o choro e catarses, a meditação do riso experimentamos o riso mais gutural que existe, promovendo uma liberdade e bem-estar enormes devido a produção elevada dos hormônios da alegria e da felicidade como ocitocina e serotonina.

Sorriso 3

Por último: as mulheres sorriem mais do que os homens, aqui está algo interessante. A pesquisadora LaFrance concluiu que, no geral, as mulheres sorriam muito mais que os homens. Isso não vem apenas do fato de que eles podem ser mais felizes, mas também que, socialmente, é mais aceitável que as mulheres sorriam, diz ela. E não para por aí:

“Em geral, as mulheres são mais precisas do que os homens em detectar o que realmente está acontecendo com alguém, olhando para o rosto e ouvindo sua voz. É mais provável que as mulheres digam a diferença entre um sorriso sincero e um falso. ”

Fonte: Buffer.com, A ciência do sorriso: um guia para o gesto mais poderoso do mundo.

 

Zaki

Zaki Deva

Terapeuta Instrutor de Cursos e Imersões:

Workshop Imersão Ser Amor Para Casais
Curso Imersão em Massagem Tântrica
– Retiro de Meditação e Dançaterapia Tântrica
– Atendimentos

La perto du má

Quando vinha era banho de má pra me curá
A água salgada no nariz vinha entrá
Tinha a brisa minha aura limpá
No pé da serra é bom respirá
Pode tá calor mas num falta á
A própria força é diferente lá
Da até mais disposição pa namorá
Quem nunca que viu o encontrá
Do sol da lua da serra e do má
Um dia eu ei de morá lá
No pé da serra pertin du má

tropical bay

O que é Tantra?

Enjoyment - free happy woman enjoying sunset

 

Tantra é uma filosofia comportamental e não-verbal. Uma experiência que te reconecta com a existência e tudo que nela há, é uma integração existencial. É algo que só se compreende na prática, tradicionalmente é passado de mestre à discípulo. Associam-se o Tantra à antiga Índia ou ao Hinduísmo por registros históricos de comunidades e praticantes dessa região, mas o Tantra transcende localização geográfica sendo algo humano em sua natureza primária de amor.

Celebração, Meditação, Gratidão e Êxtase são estados de consciência de características tântrica assim como a energia feminina e suas manifestações de aceitação, acolhimento e entrega.

Tantra é a forma mais original de se ter um encontro com o Divino, a forma mais primal, você volta a fazer parte da natureza, eliminando a ilusão da dualidade e onde todos somos um. É a forma mais prazerosa de encontro com o Ele, a mais prazerosa que existe.
Como o Tantra é inclusivo, ele não exclui nada tendo também uma abordagem sagrada e tântrica para a sexualidade.

Mas é importante saber que o Tantra não é sexo. Assim como o Yoga não é tão somente uma ginástica corporal, erroneamente conhecido no ocidente, mas uma prática que leva a Unidade e estados de Supraconsciência. O Tantra também não é uma experiência somente sexual. E sim um estilo de vida baseado no amor, aceitação, presença e comunidade. Que também te leva a Unidade. Uma prática profunda de autoconhecimento e desenvolvimento humano.

Mestre

Tantra é um caminho para a iluminação.
O Mestre Iluminado é aquele que alcançou o perfeito equilíbrio entre as suas energias, sua natureza interior está em harmonia com a natureza exterior, com a natureza Divina.
Suas experiências o levaram a um ponto de equilíbrio.
Em uma experiência de Orgasmo Tântrico você tem um vislumbre dessa iluminação.
O iluminado tem dentro de si a fusão das duas energias Shiva e Shakti e elas já não competem entre si.
Ele já não é homem e nem mulher mas as duas energias em harmonia.

As energias masculina e feminina em harmonia dentro de si, as suas funções se confundem e se completam.

No sexo o Tantra também é o olhar, tantra é tudo. Uma conexão e entrega total sem máscaras, papéis sociais ou julgamentos. Apenas uma parceria e a entrega de um para outro. Mas sem perder a sua própria experiência, sem dependência ou posse. Uma amorosa parceria.
E quando vocês se dissolvem um no outro em uma experiência de orgasmo e amor, no Tantra chamamos isso de Unio Mystica. É uma experiência de puro êxtase onde não há tempo e nem espaço e sua essência Divina aparece! Esse é um processo de desenvolvimento em experiências gradativas.

O tântrico tem uma visão diferente no relacionamento, ele cria raízes para poder ir nas profundezas do ser, lá no fundo da alma. Mas também cria asas para poder estar livre de qualquer jogo de domínio e poder.

Ele está em harmonia com os mistérios da vida ele confia nessa dança de energias e manifestações, no dinamismo da existência.
Para ele tudo é sagrado. Você se reconecta e se lembra que faz parte de um todo. Confiança.
E essa transformação acontece de dentro para fora.

Ele vive uma entrega e ouve a voz que vem de dentro.
Seguir o coração é preciso coragem, porque o coração não conhece a expressão “quebrar a cara”, para o coração nunca se perde, pois também não se tem o que ganhar, para o coração está tudo sempre certo a sabedoria do coração sempre confia e diz para você ir em frente.

 

Zaki

Zaki Deva

É Instrutor de cursos de:
– Massagem Tântrica
– Tantra e Maithuna para casais
– Facilitador de grupos de Meditação e Dançaterapia
– Atendimento em Ubatuba e São Paulo

Orgasmos Terapêuticos

massagem-tântrica-1

 

Existem uma infinidade de orgasmos que vão desde os mais sutis aos mais intensos. Claro que você precisa de uma entrega, conhecimento e um desenvolvimento para poder senti-los.
Tem o orgasmo como todo mundo conhece, comum, pequeno e curto, e ele pode ser intenso também, tão intenso, orgasmos estes que promovem estados de Supraconsciência. E orgasmos que promovem cura.

Você pode sentir orgasmos secos, ou ejaculatórios tanto o homem quanto o mulher, existem orgasmos de vários tipos,  você pode sentir orgasmo nas mãos, nos pés, no rosto, na cabeça e orgasmos de corpo inteiro.
Você pode entrar em uma experiência orgástica de Unio Mystica onde um casal tem intensas ondas de energia e orgasmo no corpo inteiro, ativando a Kundalini e os Chakras levando ambos a um contato com Divino com o Todo em uma extrema sensação de amor, compaixão e muito prazer.

A energia Kundaliní está intrinsecamente ligada a experiência orgástica sexual e de expansão da consciência. Quando ativada ela se movimenta através do corpo principalmente na coluna vertebral da base e em direção ao topo da cabeça, ativando assim os 7 chakras e removendo bloqueios energéticos e emocionais pelo caminho promovendo assim uma cura física, emocional e energética.
Quando a energia Kundaliní chega ao quarto chakra (Anahata) no coração experimentamos o orgasmo com um profundo sentimento de gratidão e amor incondicional, e aqui já estamos em uma experiência de Unidade, o primeiro contato a esse espaço com o Divino, onde se completa quando alcançamos a energia com o sétimo chakra (Sahasrara) no topo da cabeça.

Você pode ter múltiplos orgasmos também, a maioria dos casais não tem essa noção, mas o corpo humano ele é multiorgástico ele só precisa se desenvolver e recuperar esta capacidade de orgasmos que foi perdida.

d57234f09eb887383e9dbd607a025170--tantra-passion[1]

Há mais sacralidade no sexo do que se pratica, o casal que detém esse conhecimento pode até utilizar essa energia para realização e criação de seus desejos e sonhos.

No Tantra aprendemos a acessar esses níveis não só físico-sensorial mas a desenvolver o estado de plenitude consigo mesmo, com a existência e todos as coisas que se manifestam na natureza e no cosmo.

Assim como o Yoga não é tão somente uma ginástica corporal, erroneamente conhecido no ocidente, mas uma prática que leva a Unidade e estados de Supraconsciência. O Tantra também não é uma experiência somente sexual.
E sim um estilo de vida baseado no amor, aceitação, presença e comunidade.

Sobre a repressão sexual, isolamento e compulsão:

Muitos de nós temos registrados no nosso subconsciente a repressão e proibição do sexo como se fosse algo sujo ou pecaminoso.
Muito se deve em parte a uma repressão religiosa.
Nas sessões com um terapeuta tântrico conseguimos ressignificar a nossa relação com as questões pessoais sobre sexualidade e relacionamentos, reequilibrar a nossa energia e ativar todo potencial orgástico do corpo.

Na masturbação o corpo não tem a capacidade de desenvolver a carga energética suficiente para promover a satisfação e nem a produção hormonal que equilibram e beneficiam a saúde por um todo.
O vício e a insatisfação ao final da masturbação, acabam por prender a pessoa e a uma experiência orgástica muito pobre.
Tem um fator também, o de bloqueio ou trauma devido uma relação amorosa que teve um fim doloroso levando a pessoa ter medo de se relacionar novamente e se isolar na masturbação, que é também alem do medo uma prisão do ego.

Uma relação sexual saudável de mútua entrega entre duas pessoas retroalimentam a energia gerando um vórtice de crescimento energético e de consciência que na masturbação não há.

Indicamos no caso da pessoa solteira participar das meditações, núcleos, cursos e sessões.

Existem várias formas de você ter orgasmos, desmistificando isso:

Você pode ter orgasmo praticando uma atividade física, você pode ter orgasmo saboreando um prato delicioso, você pode ter orgasmo abraçando uma árvore tendo um contato profundo com a natureza, com a dança também é possível.
Você pode ter orgasmo em um abraço por exemplo, conectando os 7 chakras respirando juntos…
Existem várias possibilidades de orgasmo e a gente desenvolve isso é claro.
É importante entender que o orgasmo não é o fim e nem o único objetivo, esteja aberto para as possibilidades o processo é importante, todo o percurso, toda a experiência o contato desde o primeiro olhar o toque toda a experiência são suscetíveis de orgasmos de intensidade variáveis.

No Tantra você se torna multiorgástico(a).

Então nas meditações que realizamos, nos núcleos e cursos também temos experiências multiorgásticas.

“A impotência orgástica tem estado sempre na vanguarda da pesquisa econômico-sexual, e os seus pormenores todos ainda não são conhecidos. O seu papel na economia sexual é semelhante ao papel do complexo de Édipo na psicanálise. Quem não tiver disso uma compreensão precisa não poderá ser considerado um economista sexual. Jamais perceberá realmente as suas implicações. Não entenderá a diferença entre saúde e doença, nem compreenderá a ânsia humana de prazer, ou a natureza do conflito entre pais e filhos e a miséria do casamento. É até mesmo possível que procure realizar reformas sexuais, mas não atingirá jamais o cerne da miséria sexual. Pode admirar as experiências com os bions, imitá-las até, mas não efetuará jamais uma pesquisa real no campo da economia sexual. Não compreenderá jamais o êxtase religioso, nem terá a menor intuição do irracionalismo fascista. Porque lhe faltam os princípios mais importantes, aderirá necessariamente à antítese entre natureza e cultura, instinto e moralidade, sexualidade e realização. Não será capaz de resolver realmente um só problema pedagógico. Não entenderá jamais a identidade entre processo sexual e processo de vida. Nem, conseqüentemente, será capaz de perceber a teoria econômicosexual do câncer. Confundirá doença com saúde e saúde com doença. Acabará interpretando mal o medo do homem à felicidade. Em suma, poderá ser qualquer coisa, mas não será jamais um economista sexual — que sabe que o homem é a única espécie biológica que destruiu a sua própria função sexual natural e está doente em conseqüência disso.”

Wilhelm Reich

Reich também compreendeu a capacidade do orgasmo dissolver traumas registrados no corpo que bloqueiam o fluxo natural da energia, sabemos que se a energia fica bloqueada pode-se desenvolver doenças.

Pouco mais da metade das mulheres não tem ou nunca tiveram um orgasmo, esse número é menor com relação aos homens, entretanto, geralmente o orgasmo que homem sente também é muito pobre e curto, uma pequena sensação de prazer acompanhado de um relaxamento, insuficientes para promover os benefícios citados, e que também podem gerar uma compulsão sexual ou masturbatória.

Existe uma data mundial onde se comemora o dia do orgasmo que é celebrado no dia 31 de julho.
Bom mesmo para nossa saúde como um todo é uma dose diária de orgasmo, ou pelo menos uma prática semanal de Tantra.

 

Zaki

Zaki Deva

É Instrutor de cursos de:
Massagem Tântrica
Tantra e Maithuna para casais
Facilitador de grupos de meditação e desenvolvimento humano
Atendimentos em Ubatuba e São Paulo

Amor Tantra

Transbordante de amor
Assim sinto estar
Tinha cheiro de flor
Quando eu ia te cheirar

Sinto a saliva adocicada
Percebi depois ao voltar
Foi essa experiência
Que fez tudo isso aflorar

Cheio de sentimentos nobres
Vontade de abraçar o mundo
Bom ter amor que sobre
Agora me sinto mais feliz que tudo

Se me ver de repente a sorrir
É que lembrei do amor de ontem
E que ainda está por aqui
E que de repente vem

Quanto amor surgia
Quando paravamos para se olhar
Primeiro a gente ria
Depois voltavamos a se abraçar

Se não tivesse tempo
A gente não iria parar
Na energia do momento
Vamos continuar

d57234f09eb887383e9dbd607a025170--tantra-passion[1]

Feromônios fonte de prazer e informações

Cheiro

O cheiro das pessoas na verdade tem muito mais informação do que superficialmente parece.
Todos seres humanos tem um odor característico e nesse aroma existem substâncias biologicamente muito ativas e que carregam um conjunto de informações que são transmitidas são os chamados feromônios, informações essas usadas principalmente na comunicação sexual subconsciente.
Os feromônios podem comunicar por exemplo se determinada pessoa fornece os genes adequados ou melhores para se unir aos seus genes que gerará uma nova vida com a melhor qualidade possível.
A atração também será muito forte havendo essa melhor compatibilidade de informações, uma combinação mais completa para gerar um novo ser.
Os feromônios também demarcam território no mundo animal, além de transmitir outras informações para os indivíduos da mesma espécie.
Neurocientistas defendem que seres humanos também se têm seu comportamento influenciado pela presença de feromônios, o interesse de um homem por uma determinada mulher em meio a muitas outras, a alteração do ciclo menstrual de mulheres quando convivem por muito tempo (forma de competição de fêmeas pelo macho, uma vez que, durante algumas etapas do ciclo menstrual, a mulher desperta no homem maior interesse) são exemplos de comportamentos influenciados por feromônios.

O suor e sua interação com os hormônios faz com que homens e mulheres tenham cheiros diferentes, mas a questão – que encerra uma das chaves da atração sexual – envolve uma química mais complexa. O cheiro masculino, por exemplo, é mais intenso devido aos homens terem mais pelos, que estimulam tanto a produção de suor quanto de odor. Já o aroma feminino característico concentra-se na região genital, por causa da sua lubrificação constante e do fato de o interior da vagina ser mais ácido, para proteger a mucosa. Além disso, existe grande concentração de glândulas sudoríparas na virilha e na vulva. O papel principal nessa história toda é justamente dessas glândulas produtoras do suor. Existem dois tipos: écrinas e apócrinas. As primeiras soltam um líquido que serve apenas para resfriar o corpo. Já as apócrinas liberam uma secreção leitosa, que é a verdadeira responsável pelos cheiros do corpo humano.

 

“Essa secreção, que tem a função de manter a pele hidratada e contém gordura, é um alimento rico para as bactérias, que se aproveitam do calor e da umidade de certas regiões do corpo para proliferar, causando cheiros fortes”, afirma o dermatologista Luís Antônio Torezan, de São Paulo. O odor feminino também é atribuído aos chamados ácidos alifáticos, substâncias gordurosas presentes no suor e na secreção vaginal. Estudos comprovaram que esses ácidos são uma forte isca sexual entre os primatas. Um exemplo divertido é a famosa carta de Napoleão Bonaparte à sua amada Josephine, avisando que chegaria do campo de batalha em poucos dias e pedindo para ela parar de se banhar, para deixar bem concentrado seu aroma natural. Mas o mais incrível nesse setor da bioquímica erótica são os feromônios, hormônios que produzem aromas que não são percebidos conscientemente, mas que, no mundo animal, regulam a atração que leva ao acasalamento.

 

Entre os humanos, fatores sociais e culturais pesam mais que os feromônios, mas eles não deixam de ter efeitos curiosos: mulheres que dormem ao lado de um homem tendem a menstruar e ovular mais regularmente; ao mesmo tempo em que, neste homem, a barba cresce mais rápido.
A palavra feromônio vem grego Phero/Hormona, que quer dizer Transmitir/Excitar.
Durante a relação sexual podemos utilizar o benefício dessa capacidade olfativa de captar e assimilar melhor os feromônios e as sensações de prazer desencadeadas por eles quando chegam ao nosso cérebro, existem técnicas que permitem e promovem experiências de expansão da consciência e de muito prazer próximo ao orgasmo, técnicas essas que são ensinadas com um conjunto de outras técnicas de sensibilização dos sentidos como o olfato no curso de Tantra para casais.

Fontes: Bioquímica, hormônios. Info escola.
O que faz homens e mulheres terem cheiros diferentes. Super Interessante (07/2002).

 

Zaki
Zaki deva (Robson)

Terapeuta instrutor de cursos de Tantra para casais e retiros de meditação e dançaterapia.

Dançar é extramente terapeutico

Porque dançar é terapêutico?

DSC_0762 2

A dança é um excelente recurso terapêutico, através da dança conseguimos acessar estados de descontração, prazer e meditação.
A partir do momento que qualquer ritmo é gerado por instrumentos musicais, sentimos de forma natural um impulso para acompanhar com movimentos corporais esse ritmo, o corpo possui uma dança própria que é espontânea e natural, diferentemente da coreografia que é preciso compor e ensaiar.

Na dança naturalmente espontânea não tem certo nem errado.
Quando dançamos sentimos prazer, pois isso está também relacionado com a produção de hormônios responsáveis por nos fazer sentir um bem-estar.
Como ao dançar estamos sentindo com totalidade o nosso corpo através de uma música, sendo o único momento para você o agora, isso se caracteriza em um estado de meditação.
Em 2013, psicólogos da Örebo University  trabalharam com um grupo de adolescentes que sofriam de ansiedade, depressão e estresse, além de apresentar sintomas psicossomáticos como dor no pescoço e nas costas. A metade pediu que frequentasse as aulas de dança. A outra metade seguiu sua rotina cotidiana.

Depois de dois anos, aqueles que continuaram na classe de dança davam ênfase à alegria do movimento mais do que o desempenho individual. Ainda mostraram uma melhora notável dos sintomas psicossomáticos e disseram que se sentiam mais felizes.

Em outro estudo realizado pela Universidade de Derby, os psicólogos trabalharam com pessoas que sofriam de depressão. Durante nove semanas estas pessoas receberam aulas de “salsa”, uma dança caribenha caracterizada pelo compasso quaternário. As melhoras começaram a aparecer ao cabo de quatro semanas e, quando terminaram o estudo, os participantes reproduziram menos pensamentos negativos, melhoraram a concentração e demonstraram uma melhor sensação de paz e tranquilidade. 

O certo é que dançar é um excelente recurso terapêutico. Um estudo desenvolvido em Deakin University revelou que dançar tem um efeito muito positivo em nossa vida cotidiana. Os pesquisadores australianos entrevistaram 1.000 pessoas e descobriram que quem dançava com frequência se sentiam mais felizes e mais satisfeitos com a sua vida, especialmente em suas relações interpessoais, sua saúde e as realizações que alcançaram ao longo dos anos.

Curiosamente, psicólogos da Universidade de Nova York descobriram um efeito similar nas crianças pequenas. Eles trabalharam com 120 crianças de 2 a 5 anos, a quem expuseram diferentes tipos de estímulos sonoros, alguns era rítmico e imitavam a cadência da música. Outros estímulos sonoros eram completamente arrítmicos. Assim perceberam que as crianças que se moviam seguindo os movimentos rítmicos mostravam mais emoções positivas e demonstraram mais alegria. Por fim, os pesquisadores concluíram que há uma predisposição nos leva a movermos ao ritmo da música porque dançar também melhora o nosso ânimo.

Por que dançar nos fazem felizes?

Quando dançamos o nosso cérebro libera endorfinas, neurotransmissores que produzem uma sensação de bem estar, relaxamento, alegria e uma incrível sensação de poder. A música e a dança não somente ativam em nosso cérebro os circuitos motores e sensoriais, como também ligam os centros do prazer.

Na verdade, neurocientistas da Columbia Univesity afirmam que, quando nos movemos em sintonia com o ritmo, os efeitos positivos da música se ampliam. Portanto, um pequeno segredo para tirar o máximo da música consiste em sincronizar nossos movimentos com o ritmo musical. Assim obteremos “prazer em dobro”.

O que fica claro é que a magia da dança não se pode reduzir simplesmente à química cerebral. Dançar também é uma atividade social que nos permite estar em contato com outras pessoas, compartilhar experiências e conhecer gente nova com a qual recebemos um efeito muito positivo sobre a nossa saúde mental.

Enquanto dançamos, nossos músculos se distendem ao compasso da música que nos permite liberar as tensões cotidianas e anulam as que se acumularam na musculatura mais profunda.  Ainda precisa de mais razões para cair na dança?

 

Certamente quando a dança se torna um hábito, e você sai para dançar pelo menos uma vez por semana, a sua qualidade de vida e humor melhoram e muito.

Zaki Deva faz um trabalho terapêutico chamado Quasare, onde técnicas de dançaterapia e meditações tântricas nos levam a experimentar 4 níveis de consciência: Celebração, Meditação, Gratidão e Êxtase.
Fontes:
Duberg, A. et. Al. (2013) Influencing Self-rated Health Among Adolescent Girls With Dance Intervention A Randomized Controlled Trial. Arch Pediatr Adolesc Med.; 167(1): 27-31.

Zentner, M. & Eerola, T. (2010) Rhythmic engagement with music in infancy. PNAS; 107(13): 5768-5773.

Birks, M. et. Al. (2007) The benefits of salsa classes for people with depression. Nursing Times; 103(10): 32-33.

Lesté, A. & Rust, J. (1984) Effects of dance on anxiety. Percept Mot Skills; 58(3): 767-772.

 

Zaki

Zaki Deva

É Instrutor de cursos de Massagem Tântrica
Delerium – Treinamento Multiorgástico para casais
Facilitador da vivência Dançaterapia tântrica

Casais fortes

casal-460x300

Existem casais fortes e casais fracos, não que o indivíduo seja fraco realmente, o homem ou a mulher, mas a unidade que se formou com a união desses indivíduos é fraca, qualquer desentendimento, qualquer desafio, qualquer acesso de ego por uma das partes, afeta o relacionamento de forma fatal.
O casal forte é diferente, em um casal forte toda natureza se curva diante da beleza dessa parceria, desse amor, é como o diamante que resistiu a toda pressão e calor e se tornou o que é, uma joia rara extremamente forte e inabalável…
Os problemas são resolvidos juntos, há maturidade para isso, os indivíduos são fortes, cuidam e tem consciência da terceira pessoa a unidade do casal. O casal fraco não tem consciência da terceira pessoa da unidade que se formou. Não digo o que está certo ou errado, mas qual é forte e qual é fraco.
O casal forte não estão juntos por contratos ou interesses superficiais.
Ser maleável é essencial, ceder um pouco.
Para os casais fortes as adversidades são só adversidades.
Se for para ser casal que sejamos forte.

Zaki Deva
Desenvolvimento humano